quarta-feira, 19 de maio de 2010

O administrador dos Céus

Eu,o altíssimo, criei este mundo a princípio para um único homem- Adão que por sua vez em sua expressão mais tenra exigiu uma companheira, confesso que me orgulhei profundamente ao me inteirar que minha criatura era solidária a ponto de desejar dividir com alguém todo o paraíso a qual eu havia lhe concedido e por isso acatei seu pedido criando Eva. Mas Eva era uma mulher e como tal buscava sempre o melhor e a serpente do mal consciente disso revelou um dos meus maiores segredos o fato de que o meu Jardim do Éden era um fator pscicológico e somente por essa via poderia ser mantido assim nada mais pude fazer do que observar o casal deixar os meus átrios rumo á algo que sabia de antemão que não traria a satisfaçaão pessoal. Em seguida meus querubins cercaram meu trono celestial marcando uma reunião como se fossem investidores de um projeto que parecia se revelar um fracasso, me lembraram que antes da criaçao vetaram o aparecimento do homem sob a face da terra não tanto pelos pecados que viria a cometer mas sim pela sua crescente insatisfação com tudo e com todos a qual seria muito difícil de ser administrada até mesmo por mim o onisciente;onipotente mas como sou o todo-poderoso refutei todos os argumentos perspicazes dos anjos e dei fim áquela baderna celestial afinal eu sou o acionista majoritário desta empreitada e amava as minhas criaturas insatisfeitas antes mesmo de ter dado vida á elas. A vida seguiu seu rumo e Eva deu á luz á Caim e Abel encontrando a felicidade ,que havia perdido ao comer o fruto proibido, no amor áos seus filhos, Adão e Eva a esta altura tambem já desfrutavam de uma serenidade e paz interior; uma espécie de satisfação que os homens só chegam a conhecer em uma idade madura e dessa vez eu convoquei uma reunião com meus arcanjos fazendo questão de zomba-los por suas previsões estapafutas e gritar bem alto, em ventos quentes que percorreram desde a Babilonia até o Egito, que o propósito da criação estava sendo alcançado quando uma mãe demonstrava seu amor pelo filho e o provia de todas as suas necessidades. Alguns anos se passaram e o meu deleite nos céus foi imterrompido quando detectei uma cíumera boba e infantil; uma insatisfação de moleques que ainda nada viram da vida entre Caim e Abel que acabou levando á trágicas proporções com a morte de um dos dois não me lembro qual exatamente porque decidi apagar de minha memória todos os atos nefastos que profanam a minha criação mas devo dizer que após esse primeiro assassinato da história quem perdeu a motivação mais do que ninguém foi eu mesmo me questionando em minha infinita sabedoria se o custo- benefício valia a pena mas como a bondade e a misericórdia são minhas marcas registradas deixei a vida continuar. O tempo continuou a deixar suas marcas e as proles davam origem a inúmeros e numerosos povos que se espalhavam pela terra cada um adquirindo suas próprias particulariddes e eu o Rei do universo concedi a chuva na hora e na quantidade certa para que eles não passassem fome nem sede pois amava a cada um deles no entanto estes povos amavam coisas fúteis , e não se contentaram com a primeira definição de burguesia que eu criei com o único propósito de preencher o vazio que imperava nos corações dos descendentes de Eva, não tardando a fazer o que era mau aos meus olhos. Os anjos descabelaram seus charmosos cachinhos dourados como investidores que descobrem possuir ações que não valem quase nada e eu por fim decidi inundar a terra dado a falta de arrependimento por parte de minhas criaturas.
Inundei tudo mesmo pois se aquilo que os dava com tanto amor e carinho não lhes era suficiente então não eram merecedores de nada mas como voces sabem encarreguei Noé da construção de uma Arca que visava garantir a sobrevivencia de sua família; a dos animais a qual tambem adoro de paixão e a sua própria. Estes dias onde este pequeno contigente se encontrou confinado na Arca foram ainda mais difíceis e dolorosos do que aquele na qual Adão e Eva me deixaram pois dada a perspectiva de lá de dentro me suplicavam para baixar os níveis das águas e eu me irritei com essas pregarias porque esperava um pouco mais de compreensão por parte deste grupo que estava destinado a repovoar a terra afinal é verdade que sou o todo-poderoso mas ainda sim sou um só e foi para evitar que esses tipos de chateações cheguassem novamente aos meus ouvidos que instrui Avraham de Ur a contar de geração em geração que o Deus deles é um só e essa foi uma excelente idéia pois seus descendentes , o povo judeu, levaram o conselho tão a sério que o transformaram em oração recitada tres vezes ao dia mas voltando á Arca o que esperavam que eu fizesse ? Um fenomeno de tamanha magnitude não poderia ser feito num dia e as suas problematicas resolvidas no seguinte mas quanto a isso não liguei tanto o que verdadeiramente me causou preocupação foi perceber que Noé e sua familia ao ver toda aquela água entravam em depressao ao não conseguirem imaginar o que poderia ser feito em um mundo tão desolado?. Eu mesmo sendo o dono de toda a sabedoria do universo tive muita dificuldade em entender o que poderia servir de motivação ás minhas criaturas pois a geração anterior havia trazido a destruição a si própria em função de um egoísmo que impossibilitava fulano de dividir a terra com ciclano e agora que com o dilúvio se abria a oportunidade de ter o mundo inteiro a disposição uma excelente hora para inventar o termo real state e viver bem de acordo com aqueles valores burgueses das quasi eu já havia permitido que se desenvolvessem, achavam tal cenário pouco animador e até trágico, quando entendi que se deprimiam pela mais pura condolencia e não pela percepção de que uma economia com uma dúzia de trabalhadores e animais dotados somente com instinto de sobrevivencia dificilmente chegaria a um crescimento superior a 10% nos primeiros anos o júbilo tomou conta de mim e inúmeros arco-íris foram vistos nos céus, voces já devem ter reparado do quanto eu gosto dessas questões humanistas e de um sorriso bem largo sob a face de minhas criaturas por isso em um piscar de olhos na medida convencional divina as águas voltaram ao seu volume normal e a vida prosseguiu.
Eu presenciei o nascimento de várias gerações após o dilúvio e todas elas sem exceção me causavam extrema satisfação mas quando estas cresciam seus egos inflavam e davam a sonhos mirabolantes das quais o homem cético do século 21 acharia mais fácil acreditar na minha própria existencia do que na realização destes mesmos, estes retrógados me deram muito trabalho no campo administrativo como é possivel gerenciar o universo todo com seres-humanos tão insatisfeitos na parceria por um mundo melhor ? Nessas condições o mais provavel a se esperar é o caos e não venham me culpar eu fiz e ainda faço minha parte mas frequentemente não recebo feed back positivo; um alentozinho que seja da maioria de voces, esta geração não satisfeita quando eu os empossei como senhores da terra começaram a construir uma torre em Babel para usurpar os céus das minhas mãos que audácia mas não deixei barato tomei uma única medida que entretanto se revelou bem eficiente, mudei uma configuração na criação e em um piscar de olhos na medida humana o mundo era poliglota e eu nem mais ninguem voltaria a empregar por questão de afeição tendo o homem que provar seu valor e constantemente superar problemas de comunicação e mau-entidos linguisticos, é claro que esta minha medida levou á taxa de desemprego mais alta conhecida por aqueles dias e a um nível recorde de miséria mas para todos estes desamparados eu estava lá afinal sou Deus. Eu poderia continuar contando em todos os pormenores os eventos historicos mas eles são por demais repetitivos e com a caracteristica comum de possuirem desmotivação em abundancia alem do mais o único que conta com a eternidade aqui sou eu por isso proponho pular lá para a Idade Média mais precisamente para o seu fim com a formação dos burgos, nesse período confesso que não sabia o que fazer porque se por um lado escutava os clamores de trabalhadores competentes que gostariam de lucrar em um ambiente livre e propício ao comércio pelo outro sabia que o abandono do feudo levaria á Revolução Industrial e ao decínio ambiental do planeta o que por sua vez traria aos meus ouvidos santos inúmeras orações em forma de pedidos para que eu retificasse a situação o que não é tão fácil assim devido a intensidade do estrago que viria a se produzir e a falta de políticas públicas eficientes na maioria dos países tanto do Ocidente quanto do Oriente aliás foi nessa mesma época que eu cansado de tanta aporrinhação decidi parar de dizer que sou um só, porque na prática só os judeus sempre acreditaram nisso e permiti que os ateístas se organizassem e ficassem visiveis aos olhos do mundo , aproveitando este momento que estou deixando tudo as claras queria deixar bem claro que nunca tive nada contra os ateístas pelo contrário gosto muito deles eles nunca me pedem nada nem me amaldiçoam por supostas mazelas em suas vidas se todos seguissem seus exemplos minha vida seria bem mais tranquila mas voltando ao assunto acabei cedendo e permitindo que os burgos se formassem ao ver o fanatismo do clérigo religioso e a presunção da nobreza dentro do feudo porque desde aquele episódio em Babel que de regra geral não permito que um homem prospere sem laborar mas algumas de minhas criaturas são tão submissas que as casas monárquicas pintaram e bordaram e francamente não sei de onde veio tanto rigor clérical eu posso jurar que de mim é que não foi porque nem ao menos sou religioso.
As cidades e seus centros comerciais floresceram; uma elite refinada,elegante, poderosa e obviamente menos chegada á mim agora dava as cartas nas grandes cidades, como o dinheiro lhes era o valor mais importante com todo o montante que eu lhes permiti acumular devem ter reconstituido o Jardim de Éden pelo menos umas trezentas mil vezes e com melhoras ainda em relação ao projeto original concebido por mim mas mesmo assim eu detectei nos corações dessas elites um desejo genuíno por uma idéia que começava a ser definida por estes dias como progresso, não era um capricho qualquer era uma vontade pura de mudar as bases da sociedade como a conheciam por aqueles tempos; uma semente revolucionária em pleno seio burgues. Eu concedi seus desejos porque calculei as vantagens do projeto e tambem porque sabia que eles tinham a única intenção de conquistar a terra deixando o reinos dos céus em paz, essa parte do desenvolvimento da civilização voces se lembram melhor eu sei é a base da sociedade em que voces vivem hoje, nela eu vi a aflição gerada pela espoliação e a desmotivação de inúmeros trabalhadores ao verem seus ordenados se transformarem em trocados mais rápido do que o aparecimento do crepúsculo e pela comoção despertada trouxe ao plano histórico revoluções sociais que ensinaram ao mundo novas e variadas formas de se lidar com os recursos e suas distribuições tanto para aqueles que agora defendiam idéias marxistas quanto para aqueles que se opunham a elas criando mecanismos para um capitalismo mais vibrante e participativo. Mas para cada ação há uma reação e para alguem em minha posição é extremamente frustrante ver que os efeitos de minhas medidas não contavam com a mesma eternidade da qual minha existencia usufrui, logo se revelou que no Oriente o homem sob intervenção comunista não se contentava em ter o pão sobre a mesa mas desejava aquele tudo que coubesse em sua imaginação enquanto que no Ocidente o homem já dispondo de tudo aquilo que sua mente pudesse formular só encontrava satisfação quando aquilo que possuísse fosse superior as possessões do vizinho. Eu que justamente por ser um Deus de bondade jamais neguei coisa alguma a quem quer que fosse me entristeci com o fato de que não importa o que fizesse; o quanto me esforçasse minha criação se sentiria eternamente desgostosa. Apesar dessa minha desilusão levei a vida adiante e o mesmo fez a humanidade, lá pela segunda metade do século 20 com o consumismo na crista da onda a grande maioria da sociedade nem sequer lembrava da minha existencia , e eu apesar desta desfeita me contentava em ver que estavam conduzindo suas vidas com alegria ainda que soubesse que tal júbilo não podia ser mantido por algo como o consumo, no entanto as mulheres oraram a mim em grande devoção pedindo que lhes concedesse um maior livre-arbítrio do que seus maridos as permitiam ter em suas vidas e até chegavam a queimar sutiãs em holocausto de oferenda a mim.
Como sou alem de bondoso misericordioso concedi seus desejos e sem mais tardar elas passaram a dominar todos os setores da sociedade e por seguinte remolda-la em tons mais suaves e menos truculentos o que veio a ser um grande benefício mas a misericórdia e a bondade não foram os únicos motivos que me fizeram atender aos seus apelos, o fato foi que suas pregarias me fizeram lembrar de Eva - a doce Eva da qual esculpi por meio de uma costela em tamanha perfeição que Adão não pode se desvencilhar de seus caminhos nem nenhum outro homem depois dele ainda que eles levassem ao fruto proibido. Ao contrário de Eva que que jamais procurou dialogar comigo;expor suas problemáticas e contar com minha providencia infalível estas mulheres da pós-modernidade não hesitaram em apresentar a mim a mais profunda de suas emoções, ainda que eu já as conhecesse, fazendo-me refletir como seriam diferentes os caminhos da humanidade caso Eva tivesse seguido os passos de suas descendentes. Neste mesmo período pacifistas exigiam conhecer minha face para ver se meus traços indicavam alguem que realmente premia os justos ; destroi os iniquos e governa o mundo com justiça mas refutei tal pedido como venho fazendo com todos salvo rarissimas excessões porque aquele que não reconhece minhas dádivas do ´nascer do sol até o anoitecer tão pouco reconhecerá minha face.
Nestes dias conturbados do início do século 21, com guerras em escala comercial; miséria alastrada por todos os continentes apesar de um consumismo desenfreado em patamares da qual eu jamais havia permitido antes que se alcançasse e que teoricamente deveria anular este último problema mas a criação traz surpresas muitas vezes de forma negativa como bem sabem os engenheiros e arquitetos, os anjos na mais pura curiosidade me perguntam se diante deste quadro não me apetecia destruir este mundo só para recriar um novo em seguida aperfeiçoado sem a presença do iniquo homem ?. Eu por minha vez respondo que sim mas em seguida acrescento que tal mundo seria ainda mais sem valor do que o atual sendo portanto necessário ter fé de que as novas gerações compreenderão melhor o sentido da vida, me calo por um instante para analisar minhas próprias palavras; não encontro equívoco algum nelas e penso comigo mesmo- É isso aí mesmo, não me desfarei destas ações um dia elas valerão muito e de qualquer maneira eu tenho toda a eternidade para acompanhar.

Um comentário:

Rodrigo Passos disse...

seu blog é maravilhoso!